Acorda menina!

Sabe aquele tipo de coisa que você vê e pensa ‘por que estou reclamando da minha vida?’.

Separe 13 minutos das suas 24 horas para assistir o vídeo abaixo – te prometo que vale a pena!

A Lizzi é uma pessoa incrível. Ela nasceu com uma doença rara que a impede de ganhar peso e ela nunca conseguiu ter mais de 29 quilos. Por causa de sua aparência, a filmaram que colocaram no YouTube com um vídeo intitulado “A mulher mais feia do mundo”. Entre os milhões de comentários sugeriram que ela se matasse – mas como eu disse, ela é incrível!

Abaixo você vai ver a apresentação que ela fez no TED, que é um fórum maravilhoso que sempre me tira do ‘senso comum’. A apresentação está em inglês e com legenda em espanhol. Depois me conta o que achou!

O primeiro dodói!

No meu último dia de trabalho de 2013, umas 4h da tarde recebo um telefonema da minha mãe: ‘o Rafa está com febre. Já dei paracetamol, mas a febre voltou’. Fiquei bem apreensiva e não conseguia mais fazer nada. Liguei para o meu marido que também saiu do trabalho e fomos ao hospital levar o Rafa.

Lá ele foi diagnosticado com amigdalite. A médica de plantão disse que ele teria mais dois dias de febre, mas que logo melhoraria com Paracetamol e Amoxicilina. Saímos aliviados com o diagnóstico e a certeza de que logo estaria bonzinho – mas nossa provação estava só começando!

Em uma noite ele chegou a ter 39 graus de febre e na outra 40. O remédio demorava mais ou menos meia hora para fazer efeito, enquanto isso, dávamos banho para ajudar. Era triste ver aquele nosso bebezinho que sempre sorridente e esperto todo mole só querendo dormir e chorando. Nestes dias de febre ele também ficou um dia sem mamar – fiquei preocupada achando que ele não ia querer mais, mas ainda bem que foi apenas no dia que provavelmente a gargantinha doía mais.

Na segunda-feira, dia 30 de dezembro, ficamos aliviados porque ele acordou sem febre. Por outro lado, começaram a aparecer bolinhas vermelhas no rosto que rapidamente se espalhou por todo corpo. Corremos para o hospital novamente e o médico diagnosticou uma alergia à Amoxicilina e receitou um anti-histamínico.

As pintinhas duraram mais dois dias e felizmente no dia 1 de janeiro já tinham desaparecido quase por completo e a garganta também já está bem melhor. Ufa, que susto!

Informação

Nos momentos de aflição eu e meu marido sempre buscamos muita informação para entender o que está acontecendo. Uma das fontes mais esclarecedoras foi do Blog da Alergia. Lá descobrimos que existem três tipos de reação ao antibiótico:

-Reações Imediatas: são as mais graves, ocorrendo na primeira hora após o uso.
Acompanham-se de: coceira intensa, placas de urticária, rubor, ou ainda de edema na laringe (glote), falta de ar, cólicas abdominais, arritmia cardíaca e, mais raramente, choque anafilático.

-Reações Aceleradas: Ocorrem entre 1 e 72 horas após o uso do medicamento, podendo cursar com urticária, angioedema, coceira intensa ou evoluir para forma mais grave e morte.

-Reações Tardias: São reações freqüentes e benignas, surgindo após 72 horas ou mais, com erupção na pele (rash). Quadros graves ocorrem mais raramente.

Nós procuramos informações para saber como diminuir as pintinhas vermelhas, passamos Cutisanol, demos banho, mas nada acontecia! O melhor nesses casos é ter paciência e fé porque vai passar! Aqui tem a foto do antes e depois do Rafa:

WP_20131231_07_09_46_Pro WP_20131231_18_54_46_Cinemagraph

Esta foi a nossa virada de ano novo mais doida de todos os tempos! Feliz 2014, com menos dodói!

Meu retorno ao trabalho pós licença maternidade

Imagem

Ontem foi meu primeiro dia de trabalho depois da licença maternidade. Eu fiquei apreensiva, ansiosa e meu domingo à noite foi aqueles de depressão pré segunda-feira. Quase não dormi direito repassando em minha mente como seria este dia.

Parece que começou a cair a ficha, meus dias inteiros com o Rafa agora se restringem aos sábados, domingos e feriados – e só. Começou a me dar um nó na garganta e aquela avalanche de culpa. Mas eu já tinha tomado a minha decisão e segunda-feira eu voltaria a minha rotina de cinco meses antes.

Depois de deixar o Rafa com a minha mãe e de coração partido, cheguei ao trabalho. Fui muito bem recebida por todos, com muito carinho e compreensão. Isso tornou minha culpa mais leve. Afinal, amo o que faço e as pessoas que trabalham comigo são muito legais. Gosto do sentimento de ‘ser útil’ a todos e ouvir o quanto eu fiz falta a eles.

Algo estranho que percebi neste primeiro dia foi de como eu havia esquecido de tudo aquilo! Esqueci de senhas de acessos, nomes de projetos, de pessoas… parecia que eu tinha ficado anos fora! Quase não conseguia me lembrar de tarefas que eram muito triviais. Meu editor se preparou, leu um material sobre o assunto e disse que é normal e esta fase de readaptação leva algumas semanas.

No meu mundo perfeito eu ficaria com o Rafa até ele completar um ano e depois voltaria a trabalhar. Mas no meu mundo real eu e o meu marido temos contas para pagar! Quem sabe daqui a alguns anos quando a prestação do apartamento estiver menor eu consiga ficar em casa com o Rafa e seus irmãozinhos! Por enquanto, vou aproveitando a energia e disposição dos meus 26 anos para trabalhar, cuidar do Rafa, da casa, do marido, das contas, dos freelas, do chamado da Igreja, do cabelo, do corpinho e etc.

No fundo, eu amo ter uma vida bem agitada e descobri essa semana outra coisa apaixonante: chegar em casa ganhar um beijo babado e um abraço do filhão louco para mamar!

Enfim, como já ouvi muitas vezes “faça sua escolha e ame sua escolha”!

Segue alguns materiais que me ajudaram a me sentir menos culpada com o retorno ao trabalho:

Vídeo Jornalista, mãe e mórmon

Mãe: uma parceria eterna com Deus – Jeffrey R. Holland

Torta muuuuito fácil de banana

É sério, esqueçam de todas as receitas fáceis de torta de banana. Essa vai só cinco ingredientes ou e fica boa pra caramba!

Um dia desses eu estava com um cacho de bananas muito maduro na minha casa e tinha que levar um prato em uma atividade da Igreja. Aí liguei para minha mãe que sempre me falou dessa receita e anotei desconfiada se daria certo ou não, mas deu!

A foto não é minha, mas o resultado fica muito parecido. Vamos a receita!

Imagem 

Ingredientes

– 10 bananas maduras

– 10 colheres (sopa) de açúcar

– 10 colheres (sopa) de trigo

– 1 colher (chá) de fermento em pó

– Canela a gosto

 

Como Fazer

Corte as bananas em rodelas e misture com o açúcar e a canela. Deixe juntar caldo por mais ou menos meia hora – tem que ter caldinho. Depois misture o trigo e o fermento e coloque em uma forma. Por cima coloque mais açúcar e canela para criar uma crostinha. Leve ao forno por mais ou menos 30 minutos.

SÓ ISSO!

Juro que dá certo! Pergunte para as irmãs da Ala Rio Verde!!

Se tentar fazer em casa me conta! =)

Coisas da minha mãe!

Oi, gente! As coisas estão voltando ao normal por aqui… voltei a fazer um freela, vou pegar outro no fim do mês e em novembro volto a trabalhar, com dor no coração, mas é necessário. O Rafa também anda cada vez mais acordado de dia e dormindo à noite, fico beeem feliz. Por outro lado, vou ficando com cada vez menos tempo para o blog :\

Este post é especial para minha mãe e seus talentos maravilhosos. Além de ser minha amiga, companheira e etc. ela faz todo tipo de artesanato que você imaginar – e faz bem. Cada época ou fase tem alguma coisa especial que está na moda ou vendendo muito. Dessa vez está saindo como água os babadores e regurgitadores. Agora estes produtos da foto estão à venda na Feira da Praça Osório que vai até o dia 14 de outubro e na Art e Kraft, na Fiep.

Image

Este babador da Patchwork tem também com carinha de sapo e macaco. O Rafa tem um e é muito bom, resiste bem as ‘babas’ dele!

ImageImage

Aqui estão os regurgitadores. Quando a gente tem bebê pequenininho o ombro e o braço podem receber um leitinho de volta na hora de arrotar. Para proteger, você coloca estes babadores atoalhados que a roupa fica intacta! Os bolsinhos bordados em ponto cruz são feitos por mim! Também tenho bordado loucamente nesses dias de feira!

Image

Os babadores de gatinho estão sendo a sensação nesses últimos dias. Observe que a orelha do gatinho são um outro paninho para auxiliar na limpeza do baby. É só puxar a orelhinha que o paninho sai e fica um bolsinho com a cara do gatinho.

A Naninha ali do lado foi a ‘sensação’ do ano passado. É só dá para o bebê na hora de dormir que ele se apega! Os gorrinhos lá atrás são da Feira de inverno!

Gostou de alguma coisa? Pode fazer sua encomenda por aqui que passo para minha mãe!

Beijos!

Como irritar uma mãe (não sendo filho dela)

Depois que uma mulher vira mãe conhece os melhores sentimentos do mundo e ao mesmo tempo ouve tanta opinião alheia que pode também aflorar seus piores sentimentos!

Semana passada eu compartilhei o episódio em que fui levar o Rafinha para tomar vacina e a enfermeira perguntou se eu estava grávida. Fiquei #chatiada, mas ainda mais chocada em saber que muita gente passa por este tipo de situação irritante. Nem mesmo uma princesa está livre desse tipo de maldade.

Imagem

Após apresentar o príncipe George toda linda e maquiada, a duquesa Kate também foi alvo de comentários infelizes por causa do inchaço pós-parto, absolutamente humano e normal. 

Por isso, no topo da minha lista de como irritar uma mãe está…

– Comentar sobre seu peso ou corpo

Se não for para elogiar, é melhor guardar o comentário para você.

Minha cunhada Priscila comentou que quando foi ao mercado uma desconhecida disse “você está inchadinha né”. Que lindo, ela não imagina como fez o dia da Pri mais alegre e feliz, ainda mais nessa fase em que a gente fica super sensível!

Pelo Facebook, a Drika (do Jonas) e a Vanessa Muraro também lembraram das irmãzinhas da igreja que cuidam semanalmente da nossa forma física. 

A gente sabe que o corpo não está do jeito que a gente queria, mas ele está voltando aos poucos para o lugar e o processo pode levar até um ano. A Rafaela Santin lembrou que as mulheres são cobradas a voltar a forma anterior por causa “dessas famosas que são neuróticas e fazem bizarrices para emagrecer depois do parto”.

Contudo, uma coisa que irrita mais do que falarem do nosso tamanho é falarem do tamanho do bebê.

– Tamanho do bebê

Minha cunhada Camila teve dois bebês lindos, mas por nascerem um pouco antes do tempo ela teve que ouvir muito “nossa, como é pequenininho”. Uma das coisas mais irritantes que ela ouviu de uma irmãzinha da Igreja foi que o leite dela era ‘fraco’, por isso, o bebê não crescia e chorava. Primeiro que leite fraco não existe e segundo a mãe sabe por que o bebê está chorando, não precisa ficar dando palpite!

Por outro lado, também tem comentários maldosos para bebês que são grandes e tudo sempre é culpa da mãe. 

Não basta ‘cuidar’ da mãe, tem que falar sobre o bebê, aí vem as comparações.

– Comparações

Um dia eu estava na fila do caixa automático e uma pessoa pergunta com quantas semanas eu tive o Rafinha. Respondi 38 e ela disse ‘não vejo mais mulher que aguente até as 40 semanas, eu tive dois com 40 semanas’. AFF!

Tem também as comparações das características do seu bebê. Se tem cabelo enrolado perguntam ‘será que o cabelinho dele vai ficar ruim?’. No meu caso, o Rafa nasceu com pouco cabelo e já me perguntaram ‘será que ele vai ser sempre careca?’. 

De novo a minha cunhada Camila (acho que ela atrai esse povo!!) foi buscar o meu sobrinho Pedro na escolinha. Ele é lindo, esperto, tem 10 meses e está quase andando. Balbucia palavras como tá,tá,tá e já chama a irmãzinha du-da. Mesmo assim, a filha da diretora disse ‘como pode o Pedro ser filho de professora não falar ainda?’. Já pensou como que filhos de cantores não nascem cantando? Haja paciência!

Fico imaginando o que mães guerreiras com bebês especiais passam. É absurdo como existe gente com poder de falar coisas que deixam com a autoestima lá embaixo.

Tenho certeza que você conhece outras histórias dessas. Fique à vontade para compartilhar aqui! 

Salmão de forno com maionese

Salmão é meu peixe preferido, aí quando aparece uma promoção eu corro comprar!

Além de todas as coisas boas que o peixe tem (ômega 3 e etc) ele é muito saboroso. Meus pais vinham almoçar em minha casa, então tirei as postas do congelador, pois eles merecem coisa boa, né?!

Este é o prato pronto…Imagem

Sabe como eu fiz?

– Descongelei e temperei o salmão com sal, pimenta e limão.

– Descasquei e cortei batatas em rodelas e pré-cozinhei em água quente. Fiz isso com o brócolis também.

– Peguei meio vidro de maionese e misturei com um tempero pronto (Sazon) para peixes.

– Na travessa passei a maionese em tudo, no peixe, batatas e brócolis. Meu pai tinha alcaparras em casa e pediu pra eu colocar por cima – aí também foi junto, fica legal! Mas se não tiver não tem problema.

– Fiz arroz e saladinha de alface para acompanhar.

Meu marido fez uma sobremesa ótima. Petit Gateau de chocolate (do pacotinho amarelo) com sorvete. Estava mega bom!

Imagem